Vontade de 1ª Vez no cinema

Pode ser que ao ler o título deste texto você tenha pensado que se iniciava aqui uma crônica sensual; ou quem sabe, o relato de uma sessão de filme de pornochanchada de algum cinema de rua antigo que hoje sobrevive de exibir estas películas.

Se o fiz pensar, lamento frustrar-lhe. Trata-se exatamente do contrário…

Ela tinha 9 ou 10 anos a primeira vez que seus pés pisaram naqueles chão de piso liso e desenhos em tons de vinho. O grande salão e a sensação boa do ar condicionado a recepcionaram muito bem, afinal, era verão naquela cidade no meio do pantanal do Mato grosso do Sul, o que significa dizer que em alguns dias era como viver dentro de um forno.

Foto por Monica Ramalho/Revista Moviola

Foto por Monica Ramalho/Revista Moviola

As altas paredes do salão, que tinha um belo teto com entalhes e detalhes dourados, pareciam de mármore. Hoje já não tem tanta certeza de que eram. O cheiro da pipoca estourando tomava o lugar e despertou seus sentidos. Do outro lado do balcão um rapaz de uniforme todo branco e um chapéu, perguntou o que desejava. Por trás dele havia máquinas de refrigerante, café e a pipoqueira gigante lotada de pequenos tesouros. Água na boca!

À frente do rapaz, por trás dos vidros do balcão, um colorido chamava a atenção. Fileiras e mais fileiras de doces, balas, chocolates, pirulitos e todo o açúcar que pode caber no universo infantil. Ela e a irmã mais nova ganharam da mãe um tubo com 10 balas de morango.

Uma música ambiente era ofuscada pelo barulho das crianças e mães que tomavam o salão. Era fim de tarde, assim como ela, muitas outras trajavam ainda os uniformes escolares.

O grande lustre no teto embelezava ainda mais o ambiente, mas já era hora de passar para a próxima sala. Após o grande portal de enormes cortinas vermelhas e douradas, a magia que a encantaria por toda a sua vida estava à sua espera, era muita ansiedade!

Tudo escuro. Ela podia ver sombras de pessoas se sentando nas diversas fileiras de belas cadeiras acolchoadas, tudo em vermelho com mais detalhes dourados. Cadeiras escolhidas, então era só esperar.

Logo um som alto tomou todo o lugar e um grande retângulo luminoso se destacou na frente da sala. O responsável pelo grande espetáculo foi o Walt Disney, representado ali pelo Mikey vestido de mágico, o anfitrião do show, que foi a animação Tarzan.

E foi assim, nessa tarde de sensações, que ela se apaixonou pelo cinema.

PS: O Cine Anache, na cidade de Corumbá-MS, ainda não virou igreja. Mas, o prédio hoje está abandonado, seguindo o exemplo de tantos outros cinemas de rua que morreram pelo Brasil. =/

Anúncios