Push / Play – Músicas pra ouvir no boteco

Quem nunca foi afogar as mágoas na mesa do bar e fazer o garçom de confidente?

O boteco é aquele barzinho da moda, em alguns casos ele pode até virar… Mas aí ele perde o status de boteco. O boteco é aquele local onde mesas e cadeiras são velhas – caindo aos pedaços, como diria alguma tiazinha – o cheiro que predomina no ambiente é o da cachaça ou alguma bebida e gordura… Afinal qual boteco que não tem a sua lista de frituras que servem como tira-gosto?

Um lugar pra arrumar confusão, falar de futebol, mulher (ou homens), cinema, literatura… Um lugar pra filosofar, ou mesmo passar o tempo, tipo o bar do Moe dos Simpsons. Esse é o boteco!

Segundo um amigo, “você tem que ter nervos de aço para entrar num lugar desses”, mas eu digo: se você for na companhia de bons amigos, certamente voltará! Só evite perguntar onde fica o banheiro… Ele não existe! Se existir, não entre!

Então, como o título do Push/Play de hoje diz, temos a música que toca no boteco mais distante… Por que beber perto de casa não dá!

Ah! E não tenha preconceito, algumas das músicas são do tempo do seu avô, mas funcionam até hoje nos botecos da vida…

Eu não bebo mais / Matanza – Matanza é a banda criadora de músicas que são trilhas de bebedeiras. Nessa, se comprova que não é só homem que bebe… Você lembra do último porre, da promessa “não bebo mais” e pede mais uma dose pro garçom…

Tu és o MDC da Minha Vida / Raul Seixas – Raul, um cara que uniu o Rock e o brega, que no Brasil é a música que predomina no boteco… Essa música é pra ser ouvida na calçada do boteco, na saída pra um rolé troncho.

Dívida / Ultramen – Além dos problemas amorosos, do encontro casual com os amigos, os problemas do bolso sempre nos levam ao bar… Até mesmo pra negociar “aquela dívida de uns anos atrás…”

Sentimental / Altemar Dutra – Essa música lembra minha infância – meu pai ouvindo uns LP’s tomando um vinho. E nos dias de hoje, eu já me peguei algumas vezes, em alguns botecos ao som desse bolero.

Back to Black / Amy Winehouse – Música de quem já está no “fim de carreira”, digo, no fim da noite. Aquela mulher levou um fora do namorado e saiu com as amigas, que já tomou todas, se perdeu das amigas que arrumaram onde dormir (com quem) e ela está ali ainda pensando no cara.

Meu mundo caiu / Maysa e Fracasso / Núbia Lafayete – Fiquei na dúvida entre duas músicas e decidi postar as duas… “Meu mundo caiu” é um clássico na voz de Maysa, que ficou conhecida pelos mais novos na série da Globo… Núbia é potiguar, coisa que poucos sabem, e faleceu em 2007. As duas músicas marcaram minha adolescência…

Não, eu não era um bêbado mirim, mas eram músicas que eu e meus amigos cantávamos na aula para azucrinar a vida dos professores… Algum tempo depois, me pego num bar ouvindo: “Fracasso, fracasso, fracasso fracaaaasso, Fracasso afinal”, e na seqüência “Meu mundo caiu”… O boteco também serve pra isso, relembrar os bons tempos.

Meu mundo caiu

Fracasso

Se servir de inspiração para iniciar os trabalhos me convide.

*Postado originalmente por Ricardo Krusty no naoehumblog.com

Anúncios