dave Foto:Cláudio Augusto/IG

Vontade de Foo Fighters

Com esse papo todo de Lollapalooza e sem poder estar lá, preferi abdicar de toda e qualquer informação sobre esse evento. Impossível. Primeiro por que uma das editoras do Na Toca Tem partiu pra Sampa e estava nervosa fazendo contagem regressiva na timeline e tudo mais (espero que traga boas fotos pra essa Toca), segundo por que o resto das pessoas também só falam nisso!

Sendo assim desliguei o computador e liguei a TV (eu já tinha lido um livro), MTV, a quanto tempo não te assistia! O que encontrei por lá? Lollapalooza! O que mais poderia ser?

Decidi me render e me encher de nostalgias assistindo aos clipes de Foo fighters, era um top 20 dessa banda com Artic Monkeys.

Estou assistindo então minha irmã passa pela sala e diz “eu não gosto de Foo Fighters” . Ok, começa um clipe de Artic Monkeys e ela diz “dessa banda eu gosto”. o.O, estranho, mas fiquei quieta. Então um novo clipe de Foo Fighters “ah, desse clipe eu gosto. Um Foo Fighters depois e “esse também é legal” , e assim foi até o final do top 20.

A minha conclusão me fez sentir velha, mas, foi a seguinte: 1- disse que não gostava sem mal conhecer, depois que percebeu que tudo o que ela gosta hoje tem um pouco de Foo Fighters, ela adorou. 2 – tô velha, ela é poucos anos mais nova e uma das bandas que marcou minha adolescência não é quase nada para ela.

Então, In honor of Foo Fighters (por que quem ganhou o Grammy merece), uma listinha de clipes bons dos caras, não é classificada por preferência, são apenas clipes que merecem ser replicados e replicados e replicados. Gerações futuras, Enjoy it!!

httpv://youtu.be/eBG7P-K-r1Y

Everlong – 1995

 

httpv://youtu.be/SBjQ9tuuTJQ

The Pretender – 2007

 

httpv://youtu.be/1VQ_3sBZEm0

Learn to Fly – 1999

httpv://youtu.be/rhzmNRtIp8k

Times Like these – 2002

httpv://youtu.be/308KpFZ4cT8

Long Road to Ruin – 2007

httpv://youtu.be/4PkcfQtibmU

Walk – 2011 (esse é baseado no filme Um dia de Fúria)

Anúncios

Vontade de cena: Dunkaccino

O que der vontade está de volta, e a partir de agora estaremos aqui todas as sextas-feiras, sem falta ok?

E pra voltar bem inauguramos um novo espaço aqui no blog. Eventualmente você poderá conferir aqui algumas cenas memoráveis (ou nem tanto, mas interessantes) do cinema, videoclipes, comerciais, programas, whatever, do que der vontade! Espero que gostem. Vamos inaugurar com uma cena recente.

Você pode imaginar o Poderoso Chefão dançando e cantando em uma propaganda? Não?

Ao final do filme “Cada um tem a Gêmea que Merece”, Al Pacino (interpretando ele mesmo), o eterno Godfather, pede ao personagem interpretado por Adam Sandler para que queime o vídeo desse comercial, para que ninguém nunca o veja… Tarde demais, confiram:

 httpv://youtu.be/EPgpzJJcvTk

(“Dunkaccino” – Cada um tem a Gêmea que Merece [2011] – diretor: Dennis Dugan]

Vontade de música clássica moderna

Hoje é o dia nacional da música clássica, aquela conhecida por gostos refinados e restritas a pessoas sérias. É também clareza no equilíbrio, na austeridade e na objetividade, em lugar da subjetividade, do emocionalismo exagerado ou da falta de limites de linguagem musical.

Certo??

No nosso mundo não é bem por aí não. A música clássica é nossa, é do povo e está mais perto do que nunca! Toma novos formatos, inclui novos instrumentos, é incluída em outros gêneros musicais que talvez nem deciframos ao escutar. O que não dá pra negar é a importância do clássico para o moderno.

Então, hoje a vontade é de música clássica moderna, vamos conhecer alguns nomes?

String Femme

É um trio feminino de violinistas bonitas, vestidas de branco com violinos eléctricos, misturando beleza e sensualidade com música clássica e moderna. Elas costumam variar os violinos acústicos com os eléctricos de sistema wireless sem fios para melhor mobilidade.

Se destacam com a originalidade da performance.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=7o_tcw02xH4

Harus

Projeto de música clássica da ex-vocalista do Nightwish, Tarja Turunen.

O Harus representa um retorno às origens para a vocalista finlandesa. Se Tarja é conhecida por cantar rock/metal com estilo clássico, no Harus a proposta é trazer uma linguagem moderna para a música erudita.

http://www.youtube.com/watch?v=VOQNgUtJkKs

Hahn-Bin

Hahn-Bin não é apenas um violinista. Ele é o garoto considerado como o novo Mozart; devido às suas características não convencionais. Com apenas 24 anos, o sul-coreano mistura a música clássica com a música pós-moderna. Suas influências estão entre Mozart e Björk, esta última nota-se bem pelo figurino: batom preto e um moicano, que não é o do Neymar, fazem parte de sua performance enigmática e extravagante, chacoalhando com a mundo da música clássica.

Hahn-Bin faz os jovens lembrarem que música clássica não é só para pessoas mais maduras, seu estilo traz de volta a juventude para palcos em que se faz juz ao nome “clássico”, saindo um pouco do conservadorismo do estilo e revivendo o espírito jovem que estava adormecido nos concertos.

http://www.youtube.com/watch?v=uKCiafpDzYo

Vanessa-Mae

É uma violinista chinesa de formação clássica que se tornou famosa mundialmente fazendo gravações onde misturava música clássica com pop, jazz, techno e outros ritmos modernos. O álbum que lhe deu fama internacional foi “The Violin Player”, de 1995.

http://www.youtube.com/watch?v=Tgb0jK143MI

Diabulus In Musica

O metal é, em minha opinião, o som que mais incorpora música clássica. Onde muita gente só escuta ruído, muita música é trabalhada. Diablus in Música, por exemplo, é uma banda de Metal sinfônico formada em 2006 na Espanha. Seu primeiro álbum de estúdio foi lançado em 2010, intitulado “Secrets”. O segundo álbum da banda “The Wanderer” tem lançamento previsto pata 29 de fevereiro de 2012 na Europa e em março nos Estados Unidos e Canada pela Napalm Records.

http://www.youtube.com/watch?v=yd17f21f58s

CELLO SOUND

Um projeto eletrônico genuinamente potiguar que chegou em 2012 para misturar diferentes identidades musicais Pri Oliveira sob o comando dos graves das pick ups e Mille Pires assume o sofisticado som do violoncello.

Veja outras misturas interessantes com música clássica

Com Mambo

http://www.youtube.com/watch?v=GEdXagVh-Rs

Com Funk e sanfona

http://www.youtube.com/watch?v=19WeJvEVnvU&feature=youtu.be

Com moombahton ( faixas de house apresentadas com um ritmo quente e latino tipo o reggaeton)

Vontade de Desentoca: O Guarda Costas


É gente, ela se foi, uma das vozes mais marcantes do mundo da música, ah… como eu queria saber fazer aquelas estripulias vocais da Whitney. Só em dizer que é afilhada de Aretha, já é um bom indicativo do talento que essa mulher tinha. Ela se foi, mas a imagem estará pra sempre em um dos clássicos do romance no cinema, O Guarda Costas (1992), vai dizer que você nunca assistiu?


Bom, se você nunca viu ainda tem essa oportunidade, e também de ver o próximo lançamento cinematográfico em que Whitney Houston estava envolvida, que dizem as boas línguas, já teve suas filmagens realizadas por completo e está no aguardo do lançamento, que sinceramente, não deve demorar, o capitalismo manda aproveitar o “bafafá” da morte dela como publicidade grátis. Um remake do drama Sparkle, de 1976 (Que nunca assisti, mas parece ter uma história bem interessante, procurem saber mais)

O lançamento de Sparkle estava previsto para agosto deste ano nos Estados Unidos e marcaria o retorno de Whitney às telonas após 15 anos, desde o lançamento do

The Preacher’s Wife em 1996. Especulava-se que Whitney iria gravar duas faixas para a trilha sonora do filme, dentre elas o clássico His Eye is on the Sparrow.

Mas voltando ao Guarda Costas, o filme fala sobre a história de Frank Farmer, interpretado por Kevin Costner, e Rachel Marron, interpretada por Whitney, uma grande cantora e atriz que está recebendo cartas anônimas e ameaçadoras.

Frank, ex-agente do serviço secreto, é contratado para proteger Rachel, não topa de primeira, mas vai. Cada um tem seus conflitos, sentimento de culpa por ter tirado folga quando tentaram matar o presidente, ser invejada pela irmã e claro, a história toda de ameaça de morte contrastando com a exposição pública de uma artista reconhecida e aclamada.

O que acontece? Os dois de apaixonam, mas reprimem o sentimento, que é aguçado pelos constantes desentendimentos entre a artista e o guarda-costas. Se por um lado Farmer é um profissional que nunca baixa sua guarda, Rachel, que sempre teve controle de sua vida glamurosa, também quer estar no comando.

O filme tem cenas marcantes como quando Rachel, após receber mais uma ameaça, decide fazer um show e acaba caindo no palco, nesse momento os fãs enlouquecidos pulam em cima da mulher e começam a arrancar roupas e jóias, o corajoso e galante guarda-costas salva Rachel e sai com ela nos braços.

Outra boa cena é durante a entrega do Oscar  quando arma, disfarçada como uma câmera,é disparada e o guarda-costas se joga na frente para salvar sua amada, e claro, é atingido.

O bacana do filme é exatamente a atuação, o roteiro não é la grandes coisas, mas os atores representam os personagens de forma muito espontânea. Claro que para Whitney deve ter sido mais fácil, já tão acostumada aos holofotes e flashes, não fugia muito de sua realidade, mas, vamos contar isso como um laboratório para ela.

O Filme também tem uma ótima trilha sonora reconhecida pela indicação ao Oscar em 1993, concorrendo com duas músicas: Run to You e I Have Nothing. Neste ano o prêmio ficou para a animação Aladin.

O orçamento de O Guarda-Costas foi de US$ 16,6 milhões, sendo que arrecadou mais de US$ 400 milhões nas bilheterias ao redor do planeta. Este foi o primeiro filme estrelado por Whitney Houston.

Taí a cena final do filme com o toque todo especial da belíssima voz de Whitney, que não importa por que se foi, mas deixou herança para futuros cantores. Fica aqui o registro de um talento difícil de encontrar.

 PS: O Guarda Costas tem remake já anunciado, desde o ano passado, pela Warner.

Vontade de livros, comidas e cafés

Imagine só, você em um lugar agradavelmente decorado, com uma música ambiente gostosa, climinha frio, degustando seu delicioso café incrementado com chantilly e canela e tendo à disposição títulos incríveis da literatura? E tudo isso pagando apenas pelo café?

Minha vontade de hoje, é a de voltar lá!

Fiquei saudosista ao ir, esta semana, no meu café favorito em terras potiguares. Por que este lugar propício a uma bela tarde de mergulho na literatura fica no centro de Canela-RS.  Falo do Empório Canela, local pequeno e totalmente aconchegante, me senti muito em casa. Lá, o acervo de uma livraria e um pequeno sebo estão totalmente a disposição dos clientes para uma leitura rápida ou demorada.

Os cafés e comidinhas são caprichados. Desse cardápio delícia provei o Mokaccino, que salvou-me do congelamento. Sério, tava muito frio!e a cultura da ascendência européia é perceptível. As comidas são temperadas com ervas frescas saídas da própria horta do lugar.

A decoração também é um dos pontos altos, os quadros, ilustrações e gravuras antigas,de origem européia, se mesclam com móveis e objetos que podem ter feito parte da vida de nossos avós aqui mesmo no Brasil.E alguns deles estão disponíveis para a venda, bem como o artesanato local que também enfeita o espaço. È um misto de cafeteria, bistrôs, sebo, livraria, salão de jogos, e antiquário, ou seja, tem muita coisa pra ver por lá.

Para visualizar melhor as fotos, clique nelas.

                                                                                                                                                                                                                                                                         Olha! Interessante como um único lugar pode unir tanta cultura. Sim, por que são livros de toda parte do mundo, decoração que reflete a história da cidade e o presente de forma harmoniosa. O café e comidinhas que tem um toque de clássico, mas, estão sempre se renovando para agradar o paladar.

Gostaria de um lugar assim aqui em Natal, claro que necessitaria de adaptações, mas com certeza, com jeitinho e capricho, pode-se sim valorizar a história local sem ser chato e criar um local multicultural organizado, aconchegante para visitantes e população, a preço acessível pra que possa ser freqüentado por todos e cheio de livros, por que ler é preciso! Se esse lugar já existe, quero conhecer.