Crônica – Temperos de Martins

DSCF2405_modificado

Cidade Serrana de clima frio e uma vontade de não querer sair. Martins de sabores, de temperos e festivais gastronômicos. Quem conhece o calor das praias potiguares não imagina que no interior do estado, no alto de uma serra, se esconde um cardápio de sensações. A velocidade passa, disfarça e perpassa por situações e amizades que fazemos durante o preparo de um novo prato.

Tudo começou com um simples Ratatouille na casa de Dona Elita, uma moradora sorridente daquela cidade. A panela vermelha atraia a atenção dos olhos, os legumes voltavam-se para o paladar, enquanto os condimentos, me condicionavam ao cheiro de uma verdadeira cozinha caseira. Um pequeno caldeirão com sotaque franco-potiguar.

Dona Elita_Martins_foto lamonier araujo (2)Nos restaurantes e barzinhos o sabor estava. A qualidade não era igual à da cozinha de Dona Elita, mas a diferença também tinha seu sabor. Eram petiscos na brasa, porções nas panelas de barro, sem falar no chocolate quente numa noite de 16 graus. Para quem desejasse tinha queijo de cabra acompanhado de um bom vinho. As pessoas sorriam como se a noite não tivesse fim e os amigos fossem suas estrelas. O sabor da felicidade estava ali, descrito em um bom cardápio de amizades.

Nas ruas, um festival gastronômico rolava. A Tilápia era o ponto de partida, e a mesa o ponto de chegada. Mas até lá, muita coisa tinha que ser feita. Os chefes tinham que descobrir, modificar, criar situações em torno do peixe. A cozinha era o ringue. E que não se deixe acreditar que a tarefa era fácil. Jurados, avaliadores e um público observador queria o melhor. Entre as armas de batalha, tudo era permitido.

DSCF2433Enquanto o ardor da pimenta aquecia o paladar da competição, a manteiga de garrafa embriagava o ambiente. Os pratos foram postos à prova. Decorados de verde e amarelo, apresentados sobre a folha de bananeira ou envelopados a caráter. Sabores pra todos os gostos e cores para todos os olhares.

Anúncios

Crônica – Santos de Junho

Sem títuloSão João, São Pedro e Santo Antônio. Não funciona bem nessa ordem, mas o que importa é a vontade de comemorar o mês de junho. Santos que pouco conhecemos, mas que nesse período surgem para todos e em todos os lugares. Seja na palavra experiente de nossas avós, do milho assado na brasa ao lado dos amigos ou nas infernais bombinhas que explodem, antes mesmo de começar as festas. Tudo é festa!

As cores rompem o céu das ruas em forma de bandeirinhas, o forró pé-de-serra invade a nossa mente com memórias e o sabor da tradição ganha forma de canjica e pamonha. As casas ganham novos aromas. A canela na cozinha, o milho no quintal, a roupa velha do fundo do armário. Tudo pronto.

juninoEm junho, somos todos nordestinos. As roupas ganham os retalhos, com detalhes e apetrechos. As meninas ganham tranças de mentira, de menina do interior. Os meninos surgem com bigodes no auge de sua infância, acompanhando de um bom “Uai sô!”. Pra dançar não tem segredo, não tem ritmo e nem vergonha. As quadrilhas acontecem no melhor estilo improvisado e todo mundo se sente protagonista, até um pouco descarado.

No meio da festa, surge um puro casamento matuto com direito a madrinha e até rainha. Nada de luxo. Tudo não passa de uma simulação. A briga é pensada, o fogo nasce no coração dos casais, as cores não desbotam e a felicidade está no sorriso desdentado de cada matuto. No final, o simples vira luxo e o público é o maior momento do arraiá.

Registrei no Celular: Meu Carnaval em Olinda!

Foto: Lamonier Araújo

Sabe quando bate aquela saudade no peito e uma vontade de ter mais alegria para sua vida? Pois é assim que acontece com cada folião que passou o carnaval em Olinda/PE. Quem caminha por aquelas ruas e ladeiras, já sabe que vai ter novas histórias pra contar. A experiência de viver a cada ano, a tradição desse carnaval, reflete na beleza de sua animação e no sucesso de sua festa.

Quem pula a cada frevo, encontra o sorriso em cada salto de felicidade. Quem sobe as ladeiras com dificuldade, sabe que pode contar com um amigo ou desconhecido, que vai lhe segurar. Tá perdido? Vamos encontrar um caminho pra você não perder nada do carnaval.

Cada casa colorida é um verdadeiro Quartel General. Encontramos bases de apoio para novas festas, seja elas programadas ou não. A fantasia pode ser produzida, de última hora ou nem se quer ser feita. A verdadeira folia é construída pelas pessoas e o uniforme é você que escolhe.

A música se resume a alegria cantada pelas vozes dos foliões. As bandinhas de frevo organizam as canções imortalizada de outros carnavais, de forma a sempre entoar o famoso “Olinda… Quero cantar a ti, essa canção…” A céu aberto não existe coreografia. Existe uma mistura de passos compassados, descompassados, desajeitados, enganados ou improvisados. Isso em meio a uma multidão que te leva… sem você querer.

O que seria um carnaval se não tivesse cores? As cores das fantasias, das fachadas das casas, dos blocos, das peles, das amizades… Você acompanha um grupo, se junta com outro, se perde da metade, encontra um desconhecido e reencontra todos no final. Isso é carnaval!

Os amores também existem e podem ser encontrados ou reencontrados. No início do bloco, no final de uma ladeira, ou numa barraquinha de lanche que um folião menos atento, não viu. O carnaval tem tudo isso… mas é necessário esperar o próximo fevereiro, para que essa eferverscência coletiva aconteça novamente.

Retrospectiva Cultural 2012

Por Lamonier Araújo

RETROSPECTIVA 2012 NATOCATEMQuando chega essa época do ano, começam as famosas retrospectivas. Fatos que marcaram o ano de 2012, ou que chamaram atenção do público ou que, por algum motivo, se destacou em meio a ausência de incentivo a produção cultural no Rio Grande do Norte. E esse será o foco da nossa retrospectiva.

Serão elencados, nomes, projetos e iniciativas que valem a pena relembrar e torcer que continuem com mais entusiasmo no ano de 2013. Também vamos recordar apresentações e show de artistas nacionais que fizeram apresentações de destaque em Natal. Nem todos os meses tiveram atividades, ações de destaque… Porém escolhemos algumas ações que merecem ser lembradas:

Maratona Potiguar de Contação de Histórias – MARÇO

maratona

No mês de março, uma iniciativa chamou a atenção do público, principalmente o infantil. Iniciada no dia 23 de março, uma maratona com 24 horas de duração  seguiu até às 18h do dia seguinte. No revezamento dos causos, fábulas e histórias infantis estavam contadores, professores, poetas e diversas pessoas amantes da leitura. Eles se revezaram na I Maratona Potiguar de Contação de histórias, realizada em Natal, no Solar Bela Vista.

A iniciativa deu certo. Contando com apoio de escolas e instituições, o evento resgatou a ludicidade de ler um bom livro, mostrou manifestações culturais do nosso estado, além de abrir espaço para a população não esquecer a magia que é ler uma obra literária.

 

Show de Chico Buarque no Teatro Riachuelo – MAIO

chico buarque

Ver shopping lotado é normal em algumas épocas do ano. Mas em maio? Devido ao show do cantor, músico e ícone da MPB Chico Buarque, filas enormes se formaram nos corredores do Midway Mall, com objetivo de conseguir uma senha para o show. Seja no dia 28 ou 29 de maio. Apesar do preço elevado, o teatro lotou, as pessoas compareceram e durante muitos dias, foi o assunto que mais rodou as mídias sociais.

Festival Agosto de Alegria – AGOSTO

agosto da alegriaDando continuidades aos outros anos, o Governo realizou mais uma edição do Agosto de Alegria, que teve como homenageado o folclorista Deífilo Gurgel. Realizou em vários cantos do estado, a programação de grandes shows se concentraram no largo do TAM na Ribeira. Os mais variados artistas apareceram era Alceu Valença, Tulipa Ruiz, Herbert Lucena, Orquestra Contemporânea de Olinda… mas era tão bom, se o destaque também fosse dado aos artistas locais, não é? Mais uma vez eles abriram os shows do artistas nacionais e o pagamento dos cachês demoraram pra sair. Ou melhor. Já saiu?

Espetáculo “Clássicos do Baião – Tributo a Gonzagão” – SETEMBRO

Clássicos do Baião - Tributo a GonzagãoUma das grandes surpresas desse ano foi o projeto Clássicos do baião, que conseguiu reunir vários artistas potiguares em um só espetáculo. Dentro das homenagens em tributo ao Centenário do Rei do Baião, o projeto se apresentou em diversos períodos do ano. Sob o comando do maestro e regente, André Muniz da Orquestra Sinfônica do UFRN, vários artistas mostraram o seu talento como Caio Padilha, Camila Masiso, Khrystal, Valéria Oliveira, dentre outros. Sem falar na ida do musical até a cidade de São Paulo, onde os músicos se apresentaram no mês de dezembro.

II Feira de Livros e Quadrinhos de Natal – OUTUBRO

FLIQApesar das mudanças e problemas apresentadas na CIENTEC, a FLIQ conseguiu se sobressair e mostrar o talento de nossos artistas. Chegando a sua 2ª edição, a feira contou com grande nomes da literatura, música, quadrinhos… sem esquecer de nossos profissionais. Quem passou pela Feira, pôde conferir um pouco de tudo. Eram gibis, livros, campeonato de cosplay e até palestra sobre jogos de tabuleiro. Uma iniciativa que merece ser valorizada e levada a diante. Começando pelo hábito de ler e escrever!

Festival DoSol e Circuito Cultural Ribeira – NOVEMBRO

FEST-DOSOLNATAL-723x1024Quando você pensa em festival de rock em Natal, você lembra do Festival Dosol. Quando você quer citar um evento cultural, você lembra… do circuito. O Festival DoSol já consolidou o seu papel que é o de abrigar a turma do Rock e dar espaço para as bandas independentes. No Circuito Ribeira as proporções são maiores e mais amplificadas. Quando as duas se juntam já viu né? Sucesso. Foi o que aconteceu esse ano.

Em 2012, dois dias foram utilizados para mostrar muita música boa, distribuindo cerca de 20 bandas por dia no Festival Dosol. Paralelo, o circuito mostrou muita arte, dança e manifestações culturais pra ninguém botar defeito.

Ópera Rock com Hilkélia – Novembro

hilkelia

Aproximadamente 1 hora e meia, distribuída em dois atos e um palco de teatro. Quem poderia acreditar que uma cantora lírica do RN, fosse ousar na elaboração de uma ópera em solo potiguar. Fez e deu certo. A cantora Hilkélia (alguns ainda não conhecem) misturou música erudita com popular e alcançou o sucesso. Em novembro, ela gravou o seu primeiro DVD, com direito a casa cheia e muitos elogios. Um espetáculo que todos deveriam assistir.

Virada Cultural de Natal – DEZEMBRO

FOTO JOANISA PRATES - VIRADA CULTURALNão poderíamos fechar o ano sem falar da Virada Cultura. Uma iniciativa inédita que além de unir várias formas de fazer arte, mostrou que é possível construir um evento de grande porte com pouco recursos. Com mais de 24h de programação gratuita, a Ribeira (mais uma vez) abraçou os artistas durante os dias 15 e 16 de dezembro, numa onda de diversão e vivências artísticas. Teve de tudo. Shows, espetáculos, exibições de vídeos, performances e espaços de convivência, acontecendo simultaneamente em 10 Polos e muitos colaboradores. Um evento que não deveria ocorrer uma vez ao ano, mas sim todos os finais de semana.

Agendão – Especial Agosto de Alegria (31 de agosto à 02 de setembro)

Eis que chega ao fim, a programação do Agosto de Alegria. Para quem aproveitou as apresentações artísticas e as palestras em torno da cultura potiguar, parabéns. Para quem ainda não foi, ainda a tempo de correr atrás do prejuízo. Não é sempre que nos deparamos com grupos folclóricos, música boa em praça pública, muito menos a valorização explicita de nossas tradições. Mesmo assim, valeu a iniciativa que deveria ocorrer periodicamente.

Em meio a tantas apresentações que já passaram por Natal, ainda temos boas pedidas de lazer para indicar. Por esse motivo, vamos a mais uma nova sequência de atrações culturais para movimentar seu fim/início de mês.

Sexta-feira (31/09)

Circuito Parafolclórico – Dona Militana /Alegria Nordestina/ Xaxado de Parnamirim
Local: Palácio Potengi (Pinacoteca do Estado)
Endereço: Praça 7 de setembro, Cidade Alta
Horário: 19h

Chuva de Bala no País de Mossoró
Local: Teatro Alberto Maranhão
Endereço: Praça Augusto Severo, Ribeira
Horário: 19h

Sabor Potiguar – Feira de Gastronomia
Local: Praça André de Albuquerque, Cidade Alta
Horário: 19h30

Concerto Clássicos do Baião – Tributo a Gonzagão
Local: Largo do Teatro Alberto Maranhão
Endereço: Praça Augusto Severo, Ribeira
Horário: 20h

Sábado (01/09)

Sabor Potiguar – Feira de Gastronomia
Local: Praça André de Albuquerque, Cidade Alta
Horário: 19h30

Concerto Popular da Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte
Local: Largo do Teatro Alberto Maranhão
Endereço: Praça Augusto Severo, Ribeira
Horário: 19h

Show de Geraldo Azevedo com OSRN
Local: Largo do Teatro Alberto Maranhão
Endereço: Praça Augusto Severo, Ribeira
Horário: 20h

Domingo (02/09)

Festival de Dança de Rua – BRADAN – Batalha Potiguar – CUFA
Local: Largo do Teatro Alberto Maranhão
Endereço: Praça Augusto Severo, Ribeira
Horário: 15h

Sabor Potiguar – Feira de Gastronomia
Local: Praça André de Albuquerque, Cidade Alta
Horário: 19h30

Show de lançamento do CD de Khrystal
Local: Largo do Teatro Alberto Maranhão
Endereço: Praça Augusto Severo, Ribeira
Horário: 20h

Agendão – Especial Agosto de Alegria (24 à 26 de agosto)

Para quem pretende sair de casa, o agendão do Natocatem está marcando presença. Com uma boa levada de atrações musicais e culturais, o Festival Agosto de Alegria ainda conta com muitas opções de lazer. Já foram apresentados peças teatrais, show de bandas e até festival de bonecos. Como se divertir não custa caro e toda boa festa é um motivo para reunir amigos e conhecidos, vamos a nossa lista de atividades. Fiquem ligados na nossa mais nova sequência de sugestões, por que só vai ficar em casa esse final de semana, quem quiser. Vamos a nossa programação:

Sexta-feira (24/08)

III Encontro de Brincantes do Brasil
Local: Palácio Potengi (Pinacoteca do Estado)
Endereço: Praça 7 de setembro, Cidade Alta
Horário: 20h

Vivências Folclóricas – Araruna
Local: Escola Municipal Vicente França –São Gonçalo do Amarante
Endereço: Rua São Bento, s/n – Conj. amarante
Horário: 19h30

Sexta da Devoção Popular – Auto de Sant’Ana
Local: Teatro Alberto Maranhão
Endereço: Praça Augusto Severo, Ribeira
Horário: 19h30

Sábado (25/08)

Mostra de Dança Popular – UERN
Local: Complexo Cultural da Zona Norte
Endereço: Av. João Medeiros Filho, Potengi
Horário: 19h

Mostra de Curtas-Metragens – UERN
Local: Complexo Cultural da Zona Norte
Endereço: Av. João Medeiros Filho, Potengi
Horário: 19h

Sábado no Parque – Grupos infantis de música e dança
Local: Parque das Dunas
Endereço: Av. Alexandrino de Alencar, s/n, Tirol
Horário: 10h e 15h

Folia de Rua – Ritmos Potiguares
Local: Sede do Baiacu na Vara
Endereço: Praça do Cruzeiro, Redinha
Horário: 9h e 12h

Show de Pedrinho Mendes e Sueldo Soares
Local: Largo do Teatro Alberto Maranhão
Endereço: Praça Augusto Severo, Ribeira
Horário: 20h

Show de Alceu Valença
Local: Largo do Teatro Alberto Maranhão
Endereço: Praça Augusto Severo, Ribeira
Horário: 21h

Domingo(26/08)

Botando Boneco – Passeio com bonecos gigantes
Local: Orla da Praia do Meio
Horário: 9h

Show de Galvão Filho
Local: Largo do Teatro Alberto Maranhão
Endereço: Praça Augusto Severo, Ribeira
Horário: 18h

Show de Herbert Lucena
Local: Largo do Teatro Alberto Maranhão
Endereço: Praça Augusto Severo, Ribeira
Horário: 19h

Domingo no Parque – Casa de contos (Dança)
Local: Parque das Dunas
Endereço: Av. Alexandrino de Alencar, s/n, Tirol
Horário: 11h as 18h